segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Isso

Foto - Thially Holanda
 
"Se não era amor, era da mesma família. Pois sobrou o que sobra dos corações abandonados. A carência. A saudade. A mágoa. Um quase desespero, uma espécie de avião em queda que a gente sabe que vai se estabilizar, só não se sabe se vai ser antes ou depois de se chocar contra o solo. Eu bati a 200 km por hora e estou voltando á pé pra casa, avariada.
Eu sei,não precisa me dizer outra vez. Era uma diversão, uma paixonite, um jogo entre adultos. Talvez este seja o ponto. Talvez eu Não seja adulta o suficiente para brincar tão longe do meu pátio, do meu quarto, das minhas bonecas. Onde é que eu estava com a cabeça, de acreditar em contos de fada, de achar que a gente muda o que sente, e que bastaria apertar um botão que as luzes apagariam e eu voltaria a minha vida satisfatória, sem seqüelas, sem registro de ocorrência? Eu não amei aquele cara. Eu tenho certeza que não. Eu amei a mim mesma naquela verdade inventada.
Não era amor, era uma sorte. Não era amor, era uma travessura. Não era amor, eram dois travesseiros. Não era amor, eram dois celulares desligados. Não era amor, era de tarde. Não era amor, era inverno. Não era amor, era sem medo. NÃO ERA AMOR, ERA MELHOR”
M. Medeiros

domingo, 22 de dezembro de 2013

Tenho aprendido a orar cada vez que uma pessoa a qual tenho ou tive carinho trata-me mal, assim enalteço minha espiritualidade e ilumino um pouco mais uma alma.
Assim sigo!

sábado, 21 de dezembro de 2013

A gente nunca deve se sentir boba por amar demais ou por ser tão do bem! Nunca mesmo!

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Dia lindo

Meu presente, porque hoje o dia é mais que lindo. Tão iluminado.


Eu vivo nesse embate constante com o tempo. Eu me recordo que numa das noites em que eu mais pude aprender sobre o tempo, foi uma oportunidade que tive de passar uma noite com um amigo meu que estava doente. Numa fase terminal de câncer. Eu tinha ido para ali para ser útil aquela noite, cuidar dele. Eu me recordo que no meio da noite eu acordei com o choro dele, no meio daquele escuro. Aí fiquei assustado, e perguntei pra ele né: Robinho aconteceu alguma coisa? Ele me disse assim: Não! É que eu estou com um pouco de dor, já tomei o remédio. Aí estabeleceu-se aquele silêncio. Eu fiquei extremamente desconsertado, que na verdade eu estava ali pra cuidar dele. E eu acho que ele percebeu meu desconserto, e ele me disse assim: Meu amigo! Não se preocupe não, hoje só de saber que você está aqui dentro deste quarto, já torna minha vida um pouco mais feliz. Naquele momento eu experimentei o que não é do tempo. Por que o tempo é esta força que nos envelhece, que nos entristece, que nos mata, que nos leva embora, que nos distancia. E naquele momento eu experimentei a ausência do tempo, quando você pode ser inútil, quando você tem o direito de ser inútil para alguém, não fez o que deveria ser feito, mas o que me importa é que você está aqui do meu lado. Tão lindo, minha gente, quando na vida temos a oportunidade de criar essa brecha no tempo, quando nós conseguimos aliviar a nossa vida, a nossa existência a partir do amor que a gente ama, e os amantes sabem muito bem disso, quer fazer esquecer o tempo? AME! Por isso eu dizia aqui no início: Ele sacerdote das razões humanas – o tempo, eu sacerdote das divinas causas, que numa madrugada eu aprendi o verdadeiro significado do amor. Que concebe qualquer forma de inutilidade, não há problema. O importante é o que significamos um para o outro. Isso é amar. Obrigado! Obrigado por me fazer neste tempo de hoje, mais uma vez recordar, viver, que mais uma vez eu venci o tempo com a liturgia que o amor proporciona.
Pe Fábio de Melo

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

HOJE É TEMPO DE SER FELIZ!



A vida é fruto da decisão de cada momento. Talvez seja por isso, que a idéia de plantio seja tão reveladora sobre a arte de viver. 

Viver é plantar. É atitude de constante semeadura, de deixar cair na terra de nossa existencia as mais diversas formas de sementes. 

Cada escolha, por menor que seja, é uma forma de semente que lançamos sobre o canteiro que somos. Um dia, tudo o que agora silenciosamente plantamos, ou deixamos plantar em nós,será plantação que poderá ser vista de longe... 

Para cada dia, o seu empenho. A sabedoria bíblica nos confirma isso, quando nos diz que "debaixo do céu há um tempo para cada coisa!" 

Hoje, neste tempo que é seu, o futuro está sendo plantado. As escolhas que você procura, os amigos que você cultiva, as leituras que você faz, os valores que você abraça, os amores que você ama, tudo será determinante para a colheita futura. 

Felicidade talvez seja isso: alegria de recolher da terra que somos, frutos que sejam agradáveis aos olhos! 

Infelicidade, talvez seja o contrário. 

O que não podemos perder de vista é que a vida não é real fora do cultivo. Sempre é tempo de lançar sementes... Sempre é tempo de recolher frutos. Tudo ao mesmo tempo. Sementes de ontem, frutos de hoje, Sementes de hoje, frutos de amanhã! 

Por isso, não perca de vista o que você anda escolhendo para deixar cair na sua terra. Cuidado com os semeadores que não lhe amam. Eles têm o poder de estragar o resultado de muitas coisas. 

Cuidado com os semeadores que você não conhece. Há muita maldade escondida em sorrisos sedutores... 

Cuidado com aqueles que deixam cair qualquer coisa sobre você, afinal, você merece muito mais que qualquer coisa. 

Cuidado com os amores passageiros... eles costumam deixar marcas dolorosas que não passam... 

Cuidado com os invasores do seu corpo... eles não costumam voltar para ajudar a consertar a desordem... 

Cuidado com os olhares de quem não sabe lhe amar... eles costumam lhe fazer esquecer que você vale à pena... 

Cuidado com as palavras mentirosas que esparramam por aí... elas costumam estragar o nosso referencial da verdade... 

Cuidado com as vozes que insistem em lhe recordar os seus defeitos... elas costumam prejudicar a sua visão sobre si mesmo. 

Não tenha medo de se olhar no espelho. É nessa cara safada que você tem, que Deus resolveu expressar mais uma vez, o amor que Ele tem pelo mundo. 

Não desanime de você, ainda que a colheita de hoje não seja muito feliz. 

Não coloque um ponto final nas suas esperanças. Ainda há muito o que fazer, ainda há muito o que plantar, e o que amar nessa vida. 

Ao invés de ficar parado no que você fez de errado, olhe para frente, e veja o que ainda pode ser feito... 

A vida ainda não terminou. E já dizia o poeta "que os sonhos não envelhecem..." 

Vai em frente. Sorriso no rosto e firmeza nas decisões. 

Deus resolveu reformar o mundo, e escolheu o seu coração para iniciar a reforma. 

Isso prova que Ele ainda acredita em você. E se Ele ainda acredita, quem sou eu pra duvidar... (?)

Padre Fábio de Melo

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Yéyé omo ejá ("Mãe cujos filhos são peixes")

Seus filhos e filhas são serenos, maternais, sinceros e ajudam a todos sem exceção. Gostam muito de ordem, hierarquia e disciplina. São ingênuos e calmos até demais, mas, quando se enfurecem ,são como as ondas do mar, que batem sem saber onde vão parar. São vaidosos mais com os cabelos. Suas filhas sabem seduzir e encantar com a beleza e mistérios de uma sereia. Geralmente, as filhas de Iemanjá têm dificuldade em ter filhos, pois já são mães de coração de todos.

Mais de 50

50 vidas, diferentes histórias e um só lugar. Foi o primeiro pensamento que veio quando decidiu abraçar a causa, sempre gostou de doação, assim como a grande maioria das pessoas gostam e sempre fez tão pouco, assim como a grande maioria das pessoas fazem.
A princípio imensa dificuldade, tão difícil colher coisas que teoricamente nem serviriam mais para os seus donos, pela dificuldade cada peça conquistada uma emoção diferente no peito.
50 rostos felizes veria no dia da festa, 50 abraços apertados, 50 crianças com um pouco mais de dignidade perante caminho tão árido para elas.
Muito mais de 50 motivos para repetir a dose e disseminar a ideia de que doação tem que ser muito mais do que uma palavra da boca para fora.

Muito mais de 50 motivos para querer voltar, e voltará!

domingo, 15 de dezembro de 2013

A vida que segue...

A vida sempre nos impõe algumas dualidades para crescermos ainda mais. Com ela não foi diferente, em alguns meses de doenças e tantas mudanças bem-vindas. O se reconstruir como sempre doloroso, mas soube fazê-lo bem. Alicerces e sua importante função principal.
Aprendeu a valorizar muito mais o amor, sem dúvidas isso foi o melhor que acontecera.
O amor nos aparece de muitas formas, e quão bom quando vem na forma de amizade e respeito.
O perder sempre nos coloca em sofrimento, e é nessa hora que descobrimos quem realmente somos e que sentimento realmente temos.
A primeira palavra mediante a possível derrota é lute a todo custo e com todas as armas. Mas o que é lute a todo custo? Atitudes impensadas, cenas de maluquices, insistências mil. Matar, morrer, ferir? Achou que não.
Para ela lute a todo custo se resumiu com um entregue seu coração a Deus e só. Não que não tenha existido o choro, a raiva, as atitudes impensadas, mas sempre amenizadas com orações.
Sua espiritualização trouxe respostas para si:
Criei do meu amor/amigo um sentimento bom, que acima de tudo não se envergonha do que fez, por que fez querendo fazê-lo e com todos os sentimentos bons reunidos. Consegui romper a barreira do orgulho, e do medo. Consegui colocá-lo ao lado sem me ferir e sem tentar feri-lo. Abri mão da orgulhosa vaidade por respeito, respeito de deixá-lo ir sem interferências. Consegui não criar dúvidas e enquadrá-lo no Coríntios 13:4-8 (é benigno; não é invejoso; não se vangloria, não se ensoberbece. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta), tão mais belo de ler do que de por em prática.
Descobrir que amar é querer perto, mas infinitamente melhor é tê-lo bem. É agradecer com um sorriso no final da oração.
E tê-lo, como dito pessoalmente e sempre repetido, como  um grande presente.
É obedecer à última frase lida (quero que você se cuide) e ficar mais bonita, mais saudável e mais tantas outras coisas boas.
É a lembrança do olhar recíproco e carinhoso que terminava em um sorriso, e não querer esquecer nunca.
É isso tudo e só.  É um muito obrigada sempre. 


sábado, 14 de dezembro de 2013

Lembranças...

Ao ler esse texto ela lembrou das palavras que ouviu:
"Penso como seria os nosso filhos, senti vontade em tê-los com vc"
E lembrou dos cuidados e do carinho que o mesmo expunha ao seu lado sempre.
E de como o coração batia forte.
http://www.semcliche.com.br/site/casamento-nao-e-para-voce-2/

domingo, 8 de dezembro de 2013

Combinamos provar que tudo é possível
Demonstrar que a melhor solução
É aceitar que nós teremos que vencer a tentação
Irresistível

E acreditar que a dor do amor
Sobe pro céu e vai
Se espalhar no ar
Da cor que quer continuar
Nos olhos, mesmo invisível

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Mais 1 %

A vida e suas eternas dificuldades, nunca somos 100%, queremos abraçar o mundo e da melhor forma seguimos, e conseguimos. Abalos, queda de rendimento não é desmotivação, e sim cansaço, ou será que realmente existiu a queda? Fica a dúvida.

Muitas vezes conhecer os 10 % da vida do outrem nos coloca em perdas de detalhes, que poderiam ser aliviados na vontade de conhecer mais 1% de cada um. É onde perdemos o foco do próprio umbigo e apontamos o dedo sem julgarmos a nós mesmos, e por ai vai.  

De mudança

Ela passou horas pensando se seria bom começar um novo relacionamento, fazia um pequeno tempo que o coração estava fechado, mas recebeu o sentimento que chegara com carinho.

Lembrou de quando se conheceram, ainda no colégio, sempre tinha em mente a imagem dele a olhando e comentando para os amigos sobre sua suposta beleza. A vontade de sair do vazio era muita, e viu no saudosismo da lembrança boa a possibilidade de mudar os pensamentos e suspiros, uma vez que não adiantava tê-los. Aceitou o convite como primeiro passo, sabia que para o momento que passava não seria nada mal ter alguém cheio de admiração por perto. 

sábado, 30 de novembro de 2013

...

Desde que você chegou
O meu coração se abriu
Hoje eu sinto mais calor
E não sinto nem mais frio
E o que os olhos não vêm
O coração pressente
Mesmo na saudade
Você não está ausente
E em cada beijo seu
E em cada estrela do céu
E em cada flor no campo
E em cada letra no papel
Que cor terão seus olhos
E a luz dos seu cabelo
Só sei que vou chamá-lo

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Noivinhos biólogos

Ainda assim diante dessa belezura digo não ao casamento convencional, não por nada, apenas não gosto do trivial, acredito que Deus abençoa no primeiro olhar e que para estarem juntos é preciso apenas querer. Tudo pode ser eterno ou se acabar em um único segundo. Nunca jamais se manter onde estar por não querer aniquilar status, ou o que os outros vão pensar do mesmo.
Nunca gostei de planos, nem nunca vou gostar. Não quero meses pensando na festa, muito menos perdendo alguns minutos pensando na cor ideal.
Não quero assinar papeis, nem beijo em público, o festejo até que é bem-vindo, mas com 5 não com 500.
E que fique perto apenas que queira ficar, sem muito mais, mais, mais.
Não por isso menos menina, menos mulher, menos romântica ou menos sem sonho.
O romantismo não está no festejo, mas na forma que você conduz todo o resto.

Sempre será um simples bom dia, acompanhado de bolo de bacia o que mais me agradará. 

domingo, 24 de novembro de 2013

O que acontece quando dois amigos resolvem ficar por 90 dias?

Eles perdem a amizade.
às vezes 20 segundos de coragem é tudo que a gente precisa

...e ai tudo muda

Mantendo distância
Sem saber
Que antigas verdades
Viraram mentiras
E nada protege
De uma paixão
Vir acontecer...

Amor é amor

Juju (ainda no banho) gritou feliz dizendo que tinha uma carta para mim e que eu não podia abrir (cartas para mim é uma mania da sobrinha mais velha, com pequenos mimos e declarações, num português errado ainda, mas carinhoso, que Juju deve ter visto), foi em busca da carta em uma gaveta na sala (bem guardada) e com sorriso amplo me entregou, era um pedaço de papel de embrulho cortado a mão, enrolado e cheio de grampos, eu abri e não havia nada, com o melhor sorriso ela disse: eu deixei para vc escrever... Não sabia a pequena que o nada dela era muito, era um tudo.

domingo, 17 de novembro de 2013

Zé Maromba, derrubando um mito.


Quem nunca ouviu a clichê frase: eu malho é o cérebro ou coisas assim?! 
Bem verdade que quem dissemina a máxima passa bem longe de locais onde o culto ao corpo é pleno, e o que esses perdem é a possibilidade de conversar com mestres, doutores, grandes alunos e profissionais, e demonstram que o que tem de diferente dos mesmos é a falta de planejamento diário, que possibilita não apenas um corpo na forma desejada (magro, forte, cheinho), mas uma saúde melhor. Locais onde mulheres bonitas (de corpos bonitos) e homens bonitos (com belos corpos também) tem não apenas um bom e inteligente papo, mas muita experiência para trocar. Quem gosta de músculo não necessariamente passa longe de um bom livro e vice-versa.

Apenas isso...


quarta-feira, 13 de novembro de 2013

7 vidas por puro ensinamento.



Há quase 13 anos ou mais ganhei uma integrante a mais na família, que decidiu fugir da sua casa e viver na minha, poucas casas depois na mesma rua, sua insistência era tanta que aos poucos deixamos ela ficar, teríamos sido nós escolhido por ela. Tão bonitinha e engraçada, andava aos pinotes que tinha muito mais de cabra do que de gata.
Sua especialidade era tanta que na primeira barriga, quase perde a vida por causa de uma cabeça malvada, não era sua hora, deu a luz a três pequenos (um nem tanto) gatinhos. Com poucos dias sua ninhada aumentou e chegaram quatro companheiros levados sorrateiramente pela sua mãe, que pela lógica dos bichos não diferente a de alguns humanos, irmãos mais velhos tem que cuidar dos mais novos. Ela não se impôs, cuidava carinhosamente de todos, com mais alguns dias, novos filhos, estes encontrados na casa da vizinha após morte da mãe (uma gata de rua), quando eu e ela também achamos que ia acabar chegaram mais dois, filhos de um parto Cesário e tristonhamente rejeitados, somaram-se treze de diferentes idades, que nem nos seus tantos peitos cabiam, mas que sadiamente todos cresceram e se fortaleceram cobertos de carinho. A danada não me deu muito sossego, floresceu minha casa de bichos, que para “tristeza” da minha mãe eu sempre me apegava e não queria dá-los, principalmente quando criativamente colocava nomes (e como gostava), como boa mãe usava o espaço tranquilo da minha rua para correr e dar piruetas com os seus muitos filhos, e todos da rua nos divertíamos com eles. A sua doçura e maternidade era tanta que quando menos esperava ela estava dormindo com as minhas sobrinhas na cama.
Sobreviveu a um envenenamento, um atropelamento e uma cirurgia pesada, fazendo jus a fama de terem 7 vidas, mas perdeu como todos nós para o tempo, contudo encarou os últimos dias de cabeça tão erguida que foi impossível não admirá-la.
Por Tigrão, Kessy Jones, Toty, Ted, Punk, Pink Picote, Adam, Nick, Belinha, Brendon, Nino e outros que não recordo o nome, ela deu alguns pequenos passo e selou com carinho o focinho do Jordan, também seu, mas que há muito só se estranhavam, ele a olhou deu um pulo e correu, talvez tímido ou por ter entendido o que aquele ato significava, eu de longe com os olhos marejados esperando o que já ia acontecer pensei: como os bichos são muito, mas muito mais humanos que nós. Ficou ai a prova. 

domingo, 10 de novembro de 2013

Mais um...

O dia que a angustia bate forte são sempre os mais difíceis de seguir, pela falta de vontade que o corpo tem de levantar, e mesmo sendo muitos os exercícios para o peito, a mente insiste em ficar paralisada diante tudo de bom que acontece, exercendo forte poder em tudo.
O mundo, talvez não tão doloroso, mas provocante, nos estampa na face o pouco que somos por aqui, e mesmo bem e mesmo bom, nos possibilita dor.

Mais um dia, mais um pouco, mais uma dádiva de estar vivo e acima de tudo vencer o forte medo e vazio. 
O coração carrega o peso do mundo, mas ainda assim bate forte.

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Para muitos falta coragem

"O verdadeiro amor é aquele que se inicia na alma, longe do intelecto, longe da razão, não busca uma imagem ou uma cor, quer apenas vibrar intensamente, como se fosse apenas um, em perfeita sintonia. Quando você sentir essa experiência única, não deixe sua mente interferir, apenas aja instintivamente, e viva a sua história de amor, aquela que não será reproduzida em filmes nem em livros, mas ficará gravada eternamente em sua alma.(Luis Alves)

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Bolo de bacia

Já era noite quando chegou em casa, como de costume retirou o sapato logo na entrada, brincou com o gatinho de estimação e pelo caminho deixou alguns dos seus pertences. Na casa não havia mais ninguém, achou que o companheiro ainda não havia chegado, após alguns cuidados pessoais, foi na cozinha procurar o que comer, rotina normal de qualquer pessoa. Na mesa um bolo de bacia e um pequeno recado: lembrei que você gosta tanto.

Sorriu em plenitude. Tinha razão, uma lembrança simplória vale muito mais do um trivial eu te amo. 

domingo, 3 de novembro de 2013

A minha gratidão é uma pessoa (Nando Reis)

Depois de pensar um pouco
Ela viu que não havia mais motivo e nem razão
E pode perdoá-lo
É fácil culpar os outros
Mas a vida não precisa de juizes
A questão é sermos razoáveis
E por isso voltou
Porque sempre o amou
Mesmo levando a dor
Daquela mágoa
Mas segurando a sua mão
Sentiu sorrir seu coração
E amou como nunca havia amado
Mas como começar de novo
Se a ferida que sangrou
Acostumou a me sentir prejudicado
É só você lavar o rosto
E deixar que a água suja
Leve longe do seu corpo
O infeliz passado
E por isso voltou
Pra quem sempre amou
Mesmo levando a dor
E aquela mágoa
Mas segurando a sua mão
Sentiu sorrir seu coração
E amou como nunca havia amado
E viveram felizes... para sempre
E eles estavam livre da perfeição que só fazia estragos

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Na porta

Uma saudade bate na porta da aorta, e dói e sente, mas não seria o hipotálamo o dono dos sentimentos? Contradições do coração, que adora se destacar em meio ao corpo. Que não racionaliza bem, mas sente tudo da melhor forma. 

sábado, 26 de outubro de 2013

Recebendo conselho!

Vou ser sincera c você, eu sou uma pessoa que se arrisca em qualquer situação, mesmo que depois eu me arrependa ou que me machuque, mas eu me jogo, e se for algo que o coração tá pedindo...
Eu sei q quando somos adultos, temos família e filhos, existe um medo maior, principalmente de mudanças.
Mas a gente deve se perguntar se está feliz do modo que está vivendo, e ouvir a resposta com sinceridade (você sendo sincera p você mesmo, naquela horinha antes de dormir).
Eu n seio o que te impede a ficar com ele, mas se n for algo q denigra sua imagem e principalmente sua índole. Arrisque!
Há pouco eu reencontrei um amor adolescente do tempo de faculdade, na época nós n imaginávamos um gostar do outro, descobrimos após 10 anos, meio sem querer, após falar do passado. O sentimento (ambos ainda tinham) e claro, saltou do peito. Eu estava em tratamento de uma crise depressiva, ele me ajudou em tudo, porém nesses dez anos, muita coisa se passou. Ainda que eu não gostasse, nem me permitisse está naquela situação, arrisquei quando Deus me deu uma segunda chance (acredito que tudo tem a aprovação de Deus). Pouco tempo depois, ele se foi, disse que apesar do amor que tinha por mim, não tinha coragem de mudar nada. Hoje ele não fala comigo, mesmo eu ainda querendo uma amizade apenas ( pancada maior que essa não poderia receber, principalmente por que prometemos valorizar a amizade, eu cumpri). Sei como é terrível passar por isso (reencontrar pessoas amadas). Mas se vale a pena arriscar? Como vale, por que é nossa vida, nosso sentimento. E quem mais vai zelar por ele do que nós mesmo. Todos os dias lembro-me dele, da voz carinhosa e dos bons conselhos, às vezes choro, coisas ruins foram ditas também, mas logo vem o alívio de ter feito de tudo pela minha felicidade, apesar de não consegui alcançá-la. E principalmente de não ter ido de encontro com o que acredito e respeito. Espero que você se encontre, que seja maleável com você mesma, a vida é feita de mudanças e nada precisa ser eterno (pessoas mudam, amor acaba, relacionamentos também). A nossa vida, é o que ficam para nós. 

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Quando se tem muito amor e respeito

Naquela noite sabia que seria a última que o veria, o sono não veio, e ela caprichou em cuidá-lo, acariciava a pele como quem já sente saudade, desenhava o corpo com os olhos, para que a mente não esquecesse jamais, sorria com o sono infantil e desprotegido, ficou mais perto para sentir o calor e gravar seu cheiro.
Sabia que pelo amor e respeito que tinha, ela o deixaria partir. 

sábado, 19 de outubro de 2013

Uva engorda?


Hoje no trabalho me deparei com uma conversa (feminina) sobre o que comprar para uma “dieta”, é claro que logo falaram que uva não, por que ela engorda. Sorri de longe, achei engraçado como as pessoas rotulam as coisas e fazem disso um ato quase que sagrado. Queria eu que os hábitos saudáveis fossem também , ou tão bem, tratados assim, com tanta veracidade como os mitos e ditos populares. 
De acordo com a TACO (tabela brasileira de composição de alimentos da Unicamp), 100g da mesma tem em média 49 e 53 kcal, do tipo Itália e rubi, respectivamente, aporte calórico equivalente a 100g de maçã ou pera por exemplo.
Todavia a mesma tem um índice glicêmico alto, e eleva a resposta da insulina (hormônio anabólico) no nosso organismo, deixando-a em picos altos, mas com quedas rápidas. Sendo bastante recomendada para ingerir após um treino, é claro que com moderação. De tabela você ainda leva o resveratrol um poderoso antioxidante, além de outros bons benefícios.
O que não dá para engoli é que depois dos doces, industrializados e frituras ao longo do dia você me venha colocar a culpa na pobre da uva. 
T.H

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Novo

À medida que vai conhecendo gosta-se mais também, é só não ter pressa e dosar o caminho, é rir das coincidências e gostar de tê-las, é ver defeitos e notar que todos nós somos imperfeitos. É dar possibilidade ao novo. Mudanças, sempre tão bem-vindas. É abrir os braços para o abraço e o coração para a vida.


quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Assim...

Se Puder Sem Medo

Deixa em cima desta mesa a foto que eu gostava
Pr'eu pensar que o teu sorriso envelheceu comigo
Deixa eu ter a tua mão mais uma vez na minha
Pra que eu fotografe assim meu verdadeiro abrigo
Deixa a luz do quarto acesa a porta entreaberta
O lençol amarrotado mesmo que vazio
Deixa a toalha na mesa e a comida pronta
Só na minha voz não mexa eu mesmo silencio
Deixa o coração falar o que eu calei um dia
Deixa a casa sem barulho achando que ainda é cedo
Deixa o nosso amor morrer sem graça e sem poesia
Deixa tudo como está e se puder, sem medo
Deixa tudo que lembrar eu finjo que esqueço
Deixa e quando não voltar eu finjo que não importa
Deixa eu ver se me recordo uma frase de efeito
Pra dizer te vendo ir fechando atrás da porta
Deixa o que não for urgente que eu ainda preciso
Deixa o meu olhar doente pousado na mesa
Deixa ali teu endereço qualquer coisa aviso
Deixa o que fingiu levar mas deixou de surpresa
Deixa eu chorar como nunca fui capaz contigo
Deixa eu enfrentar a insônia como gente grande
Deixa ao menos uma vez eu fingir que consigo
Se o adeus demora a dor no coração se expande
Deixa o disco na vitrola pr'eu pensar que é festa
Deixa a gaveta trancada pr'eu não ver tua ausência
Deixa a minha insanidade é tudo que me resta
Deixa eu por à prova toda minha resistência
Deixa eu confessar meu medo do claro e do escuro
Deixa eu contar que era farsa minha voz tranqüila
Deixa pendurada a calça de brim desbotado
Que como esse nosso amor ao menor vento oscila
Deixa eu sonhar que você não tem nenhuma pressa
Deixa um último recado na casa vizinha
Deixa de sofisma e vamos ao que interessa
Deixa a dor que eu lhe causei agora é toda minha
Deixa tudo que eu não disse mas você sabia
Deixa o que você calou e eu tanto precisava
Deixa o que era inexistente e eu pensei que havia
Deixa tudo o que eu pedia mas pensei que dava
Oswaldo Montenegro

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Apenas respeito

"O respeito é um dos valores mais importantes do ser humano e tem grande importância na interação social. O respeito impede que uma pessoa tenha atitudes reprováveis em relação à outra."
O que vale lembrar é que respeitar é infinitamente diferente de compreender.
Com ela foi bem por aí, respeito à atitude, que sempre reprovou e que nunca compreendeu, nem compreenderá, jamais.
Temos esse direito de respeitar e não compreender, e a não compreensão vem do não aceitar por que se chegou até ali.
Apagar o fogo é sempre mais fácil no início do incêndio, quando a gente avisa que ali pode queimar, por ter todas as características para tal, mas o outrem pouco escuta e  tenta apagar o incêndio na plenitude da chama, que o mesmo ajudou a provocar.
As cicatrizes após queimada são grandes e a sucessão sem dúvida acontecerá, mas nunca será a mesma. 
Toda vida tem o direito ao mesmo tipo de cuidado, nenhuma é mais nem menos merecedora que a outra. Não dá para compreender tendo esse ângulo de visão, vendo a pouca importância que se dá a alguns. 
E é apenas pela falta de zelo que não há compreensão. 

domingo, 13 de outubro de 2013

O coração é belo, o amor também!
Que sentimentos bons sejam sempre transportados para mentes distantes e difusas.

Assim desejo.  

Quanta estranheza

Antes existia sempre um bom dia, hoje uma amargo silêncio paira sobre os dois e fica para o coração mais sensível a certeza de tanta estranheza, e a incerteza de que um dia havia conhecido realmente aquele coração, achava que talvez não.
Talvez não tivesse existido uma amizade se quer, talvez o contexto por um atribuído nunca foi pelos dois seguido. O de amizade acima de tudo.
E na mente assombravam palavras tristes, de quem não deveria, mas começava a se sentir um pouco de menos, nem tão engraçada, nem tão bonita, nem tão boa assim.
É claro que no final não havia uma concordância, mas o pensamento estava ali para lhe assombrar, pura estranheza. 

Fora da sua índole

Índole: Reunião de características e particularidades do indivíduo que estão presentes desde o seu nascimento, em outras palavras, seu caráter. 
E o que fazer quando oportunidades vão de encontro a tudo que você acredita? Será que um punhado de dinheiro ou uma direção promissora vale o que você é? Sinceramente acho que não. 
Tudo o que te aflige o peito, que te abala à alma tem que ser descartado em primeira instância. Nem por um instante abrace a ideia de ser diferente de quem você é. Por nada, nem ninguém. Fuja do que está fora da sua índole, pois se tais mudanças são pesadas no presente, imagine o que será seu futuro.



quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Uma só

Nessa vida onde os erros são muitos, nos assustamos com alguns propósitos Divinos que nos são dados, talvez pela aceitação muito maior a lei dos homens do que a lei de Deus. Mas se somos benevolentes e seguimos isso com o coração não devemos nos permitir acharmos errantes com uma provação. Naquele momento era o melhor que você poderia ser, fazer e oferecer, e se de alguma forma emocionou, balançou a alma por dentro, quis mudanças por fora, por que não parar e repensar na própria vida, afinal, amores, sonhos, pecados, nós temos muitos, mas vida só temos esta. Impensável pensar que faltou coragem de viver o que realmente desejou. Impensável pensar que se negou a ouvir a si mesmo. 

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Um dia mais que feliz

Enfim resolveu aceitar rever o amigo, não sabia se fazia bem ou mal, mas ia.
Naquela noite sem igual, observo-o com carinho, o jeito desajeitado, o sorriso solto, a educação simples e o humor vasto foi o que chamou a atenção. Era não menos do que imaginava, pelo contrário, era muito mais.
Um jantar, se ele soubesse o pânico que eu tenho de alimentos não convidaria para isso, pensou!
Mas manteve a calma, ousou escolher o pedido, prato que já conhecia o gosto para facilitar a dificuldade.
Nota dez, conseguiu até degustar, coisa que não fazia nos primeiros encontros, geralmente evitava até comer. Bons pontos para o moço.
A noite seguiu em ritmo gostoso, resolveram conversar mais, e após um gesto de carinho, um afago, o que ela tinha desejado fazer, desde o primeiro minuto que o viu naquela noite, sutilmente aconteceu. Meio tímido, mas não menos intenso. Talvez anos de desejo estivesse representado ali. Friozinho na barriga, pele arrepiada, meio adolescente até, coisa que já não eram mais.
Porém a sensação sentida foi a de um tempo que não passou, a de ter uma pessoa ao lado, que nunca havia estado tão perto, mas que  em tudo parecia tão próximo, gosto de Déjà vu, seriam talvez duas almas que se encontravam novamente.
Pela afinidade, pela paz trazida, pelo aconchego dado, jurou ter vivido tal momento antes.
E aqueles anos onde tinha a soma de desejo retraído e distância, mantidos pela inocência do não imaginar o carinho por ele existente, sumiram. E por alguns minutos voltaram a ser aqueles dois adolescentes. 

domingo, 29 de setembro de 2013

Livrinho de orações

Uma sublime esperança regozija o coração daquele que crê pois, em outras regiões do poder universal, outras almas a quem podemos amar e nos amam, estão rezando por nós!
Ralph Waldo Emerson.

Livro: Um presente para alma

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Com lírios amarelos

Quando a gente idealiza uma vida, a gente vai colocando nela tudo que nós queremos para quando nós pudermos parar e descansar, talvez seja esse o objetivo de tanta luta.

Eu idealizo cores e flores, um lugar que eu possa sentar e mexer na terra, frutificando lírios amarelos que tanto gosto, desejo grama e pedras belas, um lugar que me traga paz. Onde eu possa ver minhas crianças brincando belas. Longe da agitação da cidade, com direito a balanço na árvore e pássaros, muito pássaros em volta. Desejo coisas tão simples, que talvez dinheiro nenhum pague, mas todo trabalho compense.

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Ouvi isso hoje.

A gente se entristece com pessoas que passam pela nossa vida e mancham nosso peito, muito mais por elas saberem qual é o fim e não se preocuparem com ele (ou conosco).






Para os novos amores que surgem ao longo da vida (e surgem), basta uma coisa: coragem! E seremos bem mais realizados. 

domingo, 22 de setembro de 2013

Frutificando

Estava a se olhar no espelho quando começou a notar a diferença. A sementinha estava crescendo e já se destacava para o mundo real. Logo se lembrou de uma aula no tempo da faculdade, onde teve o prazer de ver pessoalmente o que se via apenas através de um ultrassom, todas as partes totalmente formadas, delicadeza pura já no início da totalidade dos meses. Olhou-se imaginando como ficaria bem maior, um breve e gostoso sorriso na face.
Não sabia se era o melhor momento de tê-lo, mas tê-lo era tudo, e tudo era o que estava precisando no momento.
Tudo que transparecesse em troca de carinho, já que se sentia tão só, tudo que transparecesse presença, já que a ausência era tão marcante.
Tê-lo era a importância de sentir a necessidade dos seus cuidados, era acordar pensando e cuidando de alguém, era amor de sobra para seu peito vazio.
Tê-lo era a contradição para esquecê-lo, era amar em dobro.
Sementinha frutificando a todo custo, e mostrando que a vida segue, mesmo quando não queremos estar nela.
É no começo que notamos que o recomeço fica forte, e nos traz a vontade de continuar vivendo, e nos declarando muito mais integra para estar aqui.
Tê-lo era esperar dias muito melhores.  

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Coração é casa

Chegou, bagunçou e foi embora, deixou a casa vazia e o pouco que tinha ficou fora do lugar.
Não se importou com a bagunça que fez, apenas fez. Fez com tamanha força que há ainda hoje diversas coisas fora do lugar, mesmo com todo o esforço de organizá-las, o estrago foi grande.
Chegou sem limpar os pés, pisou sem se preocupar o que tocava, não respeitou o jardim, nem as flores, muito menos o piso branco, que já não era tão branco pela passagem de pessoas iguais. Chegou prometendo reforma, mas depois de mexer, quebrou e foi embora.
"O amor não prende, liberta! Ame porque isso faz bem a você, não por esperar algo em troca. Criar expectativas demais pode gerar decepções. Quem ama de verdade, sem pego, sem cobranças, conquista o carinho verdadeiro das pessoas".
[Chico Xavier]

Dos medos e erros

Você erra quando se cala, quando deixa o silêncio tomar conta do pouco de tudo que foi um dia. Mesmo que as palavras sejam negativas quando ditas, a mágoa posta nelas é menor do que a rejeição que traz o silêncio.
O silêncio é veneno em dose grande.
O sumiço que parece apaziguar os ânimos vai de encontro e é de risco, machuca.

Ter cuidado nas atitudes mostra acima de tudo nossa maturidade e lealdade conosco, arcar com as consequências é sensato, proteger a si e ao próximo dos medos é conduta errônea, é dar ao coração uma boa dose de nada. O nada que talvez nunca foi o merecido. 

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Talvez um dos piores castigos para pessoas do bem é saber que teve o poder de machucar demais alguém, mesmo sem haver nenhum sentimento de estima entre eles.
Quem quer o bem, faz o bem e preserva o bem.

Mais um dia de exercício e ela distraída percebeu seu olhar de longe, não sabia bem por que estava olhando, talvez para corrigir uma ou duas postura errada, entristeceu quando percebera,  os olhos rapidamente marejaram e um conteúdo cabisbaixo se manteve na face, percebeu que ele também perdeu o brilho nos olhos, talvez por perceber que ela não merecia as atitudes do passado, talvez fosse só impressão.
Emudecidos continuaram ali fingindo que um não conhecia o outro, negando a mágoa sentida e a causada. Que poderia ser amenizada em um pedido de desculpas seguido de breve conversa.
Todavia de uma coisa estimava certeza, se existia benevolência existia tristeza de ambos. E sem dúvidas muito mais de quem causou a mágoa por saber que poderia ter evitado, se quisesse, mas não quis.
Se o espírito é ruim a certeza de ter feito mal a alguém não pesa.

O inverso é verdade para pessoas do bem,  esse peso é levado por uma vida inteira. 

terça-feira, 17 de setembro de 2013

sexta-feira, 13 de setembro de 2013


Dediquei parte do dia a elas e ao encantamento que sempre tive, pela aparente fragilidade e forte resiliência.
Ainda na faculdade coloquei como objetivo, mas não cumprido, o tempo passou e elas ali na mente e coração, um pouco esquecidas entre tantos afazeres da vida.
No breve reencontro, o coração feliz, por estudar e dedicar um mínimo de tempo a elas, e como fez bem, e como me fará melhor ainda.
Para quem nunca teve o prazer de ver os filhotinhos saírem feito mágica da areia e correrem em busca do mar, recomendo! Tamanha é a beleza e encantamento.

Fico imensamente feliz quando alguém me diz que lembrou de mim através delas, é receber um carinho e tanto, acredite. 

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Por amor as causas perdidas

Para frase tema do texto fica o contexto de prender na alma o que deveria ser dissipado simplesmente do coração e mente, mas que pela força do sentimento se prende a tudo que nunca foi e que talvez pudesse ter sido, quem sabe. Uma espera, um reencontro, um último pedido e muita vontade.
Vontade de só mais um pouco, um pouco de conversa, um pouco de carinho, um pouco de presença. Presença que vive na ausência, na saudade, na falta de domínio no peito.
Peito que macera o coração pelo tamanho e força da respiração de quem perde o fôlego.
Fôlego que foi tirado no primeiro beijo e nos pensamentos de todos os dias.

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

domingo, 8 de setembro de 2013

Um ao outro

Muitas vezes nossas irritações partem da rotina estressante e da falta de momentos de carinho, principalmente o familiar.
“ Ela (e) chegou de cara feia, acho melhor nem chegar junto” É o pensamento corriqueiro.
Do outro lado tem alguém de cara feia por evitar transportar problemas e irritações. Ambos fazem-se mal.
Quando na verdade um quer ajudar e o outro quer ser ajudado.
“Ta tu...do bem, a vida segue, amanhã (ele/ela) está bem.”
Melhor correr, a vida tem pressa!
Esqueceu o beijo de boa noite que talvez não fizesse falta.
Esqueceu o abraço que talvez o outro nem quisesse.
Esqueceu? Não! Achou que talvez nem tivesse importância.
Mas tem! Sempre tem.
Era moderna é um gelo.
Desnecessário, mas é!

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Anjo da guarda

-Acorda dorminhoca, vem para cá conversar! Era assim que chegava a mensagem de longe para lhe acordar, e conquistava um sorriso.
Os remédios do tratamento eram fortes e de efeitos sonolentos.
Apesar do momento ser de doença e de não querer voltar no tempo há saudade do seu anjo da guarda, que depois de todo o cuidado e carinho se foi.

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

 "O perdão... é a cura das emoções, a assepsia da alma, a faxina da mente, a alforria do coração. O perdão constrói pontes onde a mágoa cavou abismos"

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Fotografia

Bem verdade que poucos gostam de tirá-las e expô-las, mas como estas são importantes para nós. É um veículo para matar a saudade. Pensou ela no dia em que percebeu o quanto gostava de olhá-lo. Sim era bom, ver, rever, encontrar defeitos (tão poucos) e assim mesmo gostar.
Fotografia, suspiro pensante! O que seria de mim sem ti. Tudo, é certo, seria muito mais do que saudades, seria possibilidade de esquecer um ou dois detalhes teus, seria não ter o prazer de em silêncio e a sois velá-lo, tal qual num sono inocente e belo. Seria de alguma forma nunca mais tocá-lo.
Como era bom vê-lo e poder sentir, pelo menos, por um instante o prazer de tê-lo tão perto, e relembrar cada detalhe que ainda vivos estavam.
Fotografia! O que seria de mim sem ti...

terça-feira, 3 de setembro de 2013

Não podia deixar de faltar para hoje! Linda!



Pela biologia.



Achei engraçado uma amiga comentar que conhecia uma empresa que tentava ocupar as vagas de biólogos, mas sem sucesso, pois muito que eu conheço são profissionais se dedicando à área acadêmica por não conseguirem se inserir no mercado, acredito que muito ainda deve-se as grades curriculares arcaicas das nossas Universidades, que de profissional forma muito pouco. Mas para as empres...as fica o recado: você pode modular seu funcionário, tem muita gente boa querendo trabalhar.
Que no futuro a valorização desse profissional chegue, até para preservar o pouco que ainda nos resta.
E sim, é belíssimo ver programas de TV com o profissional atuante (grande minoria). E é triste ver outros profissionais atuando no que é nossa função por direito. Grande mau do Brasil.

Ps.: essa não é a única profissão que sofre com isso, diploma hoje é só um papel, é preciso muito mais. Principalmente OPORTUNIDADE!

domingo, 1 de setembro de 2013

Nunca deixe acontecer assim...

Não sabia que a timidez do passado ia ser tão dolorosa nos dias atuais. Foi com surpresa que ouviu dele o desejo que havia existido, foi com tristeza que concordou não só com o desejo, mas com o carinho e todas as admirações escondidas até então.
Hoje o carinho sentido é vencido pelo silêncio, silêncio de quem não quer tocar em uma história que tem muita raiz mesmo quando se quer dizer que não.
Hoje todo o desejo continua reprimido, não pela timidez, não pela falta de coragem, não por não saber da existência um do outro (em sentimento).
Não se sabe bem por que, talvez por medo, medo de mudanças, ou simplesmente pela realidade do coração de um não ser a do outro, quem sabe se.
O que fica é a negação aos filhos um dia desejados, é a negação ao futuro um dia planejado, quando foi dito a vontade de seguir juntos por lugares bons, é a negação ao amor um dia falado, talvez sem certeza ou sem realidade qualquer.
O que fica é só saudades, é ter tido o direito de uma segunda chance, mas nada fazer por ela.
É coração vazio! É rivotril para acalmar o choro.

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Sonhos


A gente fecha os olhos e se projeta em lugares e com pessoas, muitas vezes que nem estão no fluxo do pensamento diário, mas que é bom ali estar.

Principalmente se já não existe um convívio, seja lá qual for o motivo, os sonhos bons trazem para a gente um sinalizador de paz, de visualização de como você queria que o outrem estivesse, provoca uma acordar com um sorriso e um querer dormir um pouco mais. Muitas vezes fazem-nos acreditar que querem dizer algo, mas não, nada dizem, apenas retrata uma cena ideal, que talvez jamais seja vivida.

Um paralelo entre a fantasia e a realidade, uma misteriosa forma de fazer bem a si mesmo. Um devaneio prazeroso em meio a dias corridos e iguais. Uma forma de nos dar  super poderes.
Amor que é amor dura a vida inteira. Se não durou é porque nunca foi amor. O amor resiste à distância, ao silêncio das separações. Sem perdão não há amor!
Padre Fábio de Melo

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Construções

Um pouco mais de 15 anos, lembra-se bem de quando começaram as primeiras mudanças na casinha humilde de vila, que apesar de confortável era bem pequena, e a vontade paterna de mais conforto e individualidade se sobressaiu. Um sobrado começou a construir, apesar de não ter condições.
Lembrou-se bem do dia em que a mãe cansada de restringir os filhos a um quarto na casa de algum parente, pediu para ir para o sobrado em reforma. Cinza, tudo era cinza, chão de terra em alguns locais e nada de luxo, mas ao menos não havia goteiras. Para as crianças tudo era aventura, e assim foram os longos anos de reforma que nunca concluíram até os dias atuais.
Na adolescência trazia consigo um sentimento de vergonha por não ter tudo como era em sonho, a ponto de evitar levar alguns amigos. Pensamento bobo e infantil, pois qualquer pessoa madura reconheceria a beleza da casa perante os filhos em que nada jamais faltou, bons estudos, boa educação e boa saúde (sempre foram as prioridades). O hábito do jeitinho prolongou por uns anos adiante. Até que a filha mais nova, a primeira a terminar os estudos, mas a última a trabalhar devido aos próprios estudos, começou a investir naquilo que achava que deveria deixar de gratidão aos pais. No primeiro salário ao invés de roupas e sapatos comprou tijolos e tintas e começou a dar conforto para quem da melhor forma tinha tentado dar de um tudo. Móveis bonitos, eletrodomésticos bons, entre outros tantos mimos.
No seu grande dinheiro em mãos, que caberia uma boa entrada em um bom carro, ou uma boa viagem para o local de escolha (Chile – seu sonho, ou Alemanha – visita amiga), decidiu não mais do que investir um pouco mais no conforto dos pais, o banheiro que nunca tinha ganhado atenção especial, teve agora direito a tudo, tal qual banheiro de revista. Com carinho ela finalizou com bom grato os últimos toques da casa, deixando o desejo de ser lembrada  em cada cantinho de conforto, (terraço, sala, quarto, banheiro, telhado) e a partir daí se sentia pronta em deixar só para eles aquela casa que sempre foi de todos, e seguir sua direção, que ainda não sabia qual era, mas que já poderia ir sem medo, tinha sim cumprido sua missão. E sabia o quanto ela era uma boa menina. Quem prioriza família e casa, prioriza também todo o resto.
 
No fim do texto ela lembrou com um sorriso bobo o comentario de uma (amor-amigo): " você precisa viajar mais!" Quem sabe agora ela vai...

sábado, 24 de agosto de 2013

No fim dessa história toda alguém tinha que ser muito feliz.
Uma pena que não fui eu.

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Quem é que sabe?

Como saber se fizemos a escolha certa? Não sabemos, mas alguns acontecimentos vão fazendo entender o motivo da escolha.
Mais um dia comum de aula, com mente e corpo cansado, pois já não era a mesma jovem da primeira graduação. A professora e suas mil perguntas, com mil respostas corretas, a ponto da mesma exclamar que apenas uma aluna estudou durante o curso. Perguntas bobas que nada mais eram do que obrigação saber, mas que encheu o coração de orgulho por ver os olhos da professora brilharem procurando a dona das respostas, ainda no meio da pergunta e perceber que de forma alguma ela estava ali falando Grego.
Pelo conhecimento existente e nascente o que parece é que a escolha foi certa.

O bom insone.


Instrução número 6 da lista de boas sugestões dada pelo médico para o tratamento da insônia: construa uma rotina para o sono.

Resposta do insone: o sono fica perfeito quando se atribui atividades novas (nova “rotina”), contudo quando as novas atividades ganham literalmente o nome rotina, bem-vinda a falta de sono. Para uns o corpo não cansa e nem descansa!

Ps.: O médico avisou que a especialidade dele não tratava o caso. Quis apenas ajudar.

domingo, 18 de agosto de 2013

5 sentidos

Tiro meu chapéu para quem consegue, mas conquistar, reconquistar e administrar relação via internet e afins é muito difícil.

É preciso o olho no olho, e o apelo visual (em todos os sentidos).

Além do mais, palavras escritas são perigosas, pois a interpretação é somente nossa.

A distância imposta pelo “modernismo” nos põe em dúvidas do próprio sentimento. Será que vendo, ouvindo, sentindo as minhas atitudes seriam as mesmas? Dúvida! É bem mais fácil parar um coração que não dispõe de todos os sentidos para aguçá-lo.  

No corre-corre atual isto tem sido habitual, e logo vem a sensação de solidão, mesmo estando em par.

Feliz daquele que valoriza e utiliza em plenitude os seus 5 sentidos.

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Bons exemplos

É São José com o menino Jesus, ele é o seu pai, e contou sua história... Não é lindo? Obteve um sorriso em concordância. Pegou o livro de orações, abriu a página ao acaso, orou, colocou a imagem ao seu lado como de costume e adormeceu.
No na noite do dia seguinte ao entrar no quarto se deparou com ela ajoelhada diante do São José e orando, colocou ao lado da cama deitou e adormeceu, tal qual fazia a tia.
Não pode deixar de pensar: são nos pequenos e despercebidos detalhes que a gente educa para o bem.

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Ainda presa nela!


O dia amanheceu nublado no céu e na alma, coração disparado, falta de fôlego, choro preso, vontade e muita de ficar só.
Tanto tempo sem sintomas tão fortes, sem o reflexo do medo.
Refém do próprio vazio. Vítima da própria ânsia.
Almejante a cada dia, durante anos, não da cura, mas do convívio ameno, mas perdedora muitas vezes.
É assim o passar dos dias de quem tem crises de ansiedade, quando se pensa no fim há um recomeço.   

terça-feira, 13 de agosto de 2013

domingo, 11 de agosto de 2013

Alquimia


Verdade, nunca gostou de cozinhar! Comer até então era um dos seus afãs cotidianos em outrora, vítima da infância de birra por falta de apetite e de posterior doença estomacal quase fatal que lhe colocou em dieta restrita por um ano, mas o destino colocou na sua vida profissional os alimentos, como uma ironia bem-vinda. Saber cozinhar ainda não sabia, mas gostava de receitas, tal qual alquimia, onde a mágica é unir visão, paladar e principalmente saúde. Dietas proteicas, hipocalóricas, restritas e sobre tudo deliciosas. Gostou do que viu e de como uniu, e o que era trauma de outrora virara o prazer do agora, nas suas madrugadas a fora. 
 
Quem sabe dica a diante!